Educação financeira é essencial no seguro de vida

Educação financeira é essencial no seguro de vida

Qual será o futuro do Seguro de Vida? Na tarde desta terça-feira (23), no CQCS Insuretch & Innovation, Helder Molina, CEO da MAG Seguros, Ricardo Bottas, presidente da SulAmérica e Gustavo Doria Filho, fundador do CQCS, participaram de um painel na sala Nilton Molina, para abordar o assunto.

“As pessoas tinham resistência de falar sobre morte, isso é uma verdadeira transformação. A nossa indústria saiu da crise protagonista. Existe uma transformação natural por causa da pandemia”, começou Molina, falando sobre a evolução das pessoas quando se trata do Seguro de Vida.

Para o CEO, as distribuições verificaram que a tecnologia não é uma inimiga, e está a favor dos Corretores. “O futuro é promissor, mas a tecnologia é necessária”, ponderou.

Em seguida, Bottas afirmou que diante do atual cenário, é natural ver o produto crescendo, e é importante não perder essas oportunidades. Entretanto, o presidente alertou que é preciso continuar enaltecendo a importância do Seguro de Vida, independente da crise sanitária atual. ”Temos um risco muito grande que é entender que é preciso continuar como Seguro de Vida como planejamento”, explicou.

“Não podemos esperar passivamente que a penetração cresça só criando produtos novos. Temos que aproveitar essa crise. As pessoas precisam entender o valor do seguro”, acrescentou o presidente.

Doria, que mediou o bate-papo, disse que acredita no bem-estar que o Seguro de Vida pode trazer. “O que vendemos é bem-estar, qualidade de vida, benefícios. Isso além de agregar valor, é um instrumento de gerenciamento de risco”, afirmou o fundador do CQCS.

Em seguida, Doria questionou: “Os Corretores oferecem pouco Seguro de Vida?”

Molina respondeu que acredita que o Corretor ainda tem vergonha de oferecer este produto, mas deveria ser diferente. “Ninguém acorda querendo comprar um Seguro de Vida. Você falar sobre morte, invalidez, é difícil. Falar de aposentadoria é mais fácil. É um desafio que o Corretor precisa vencer. Isso deveria ser prioridade para o Corretor”, pontuou.

Bottas disse que, nesse caso, é preciso trabalhar educação financeira. “Educação para desmistificar essa questão. Vamos falar também da morte, o quanto é importante para as famílias estarem protegidas. Educação é um pilar fundamental”, aconselhou o presidente.

Segundo o CEO, é preciso educação financeira, mas não só das companhias e sim da indústria como um todo. Molina enfatizou que a indústria precisa se mexer e criar um processo de educação, não só para os distribuidores, mas para a população em geral. “O problema não é da sociedade, é cultural. A educação financeira é essencial”, concluiu.


LGPD para Corretor de Seguros

Fonte: CQCS

Compartilhe: Facebook Twitter Google Plus Linkedin Whatsapp