Fenacor reage a tentativa de legalizar proteção veicular

Fenacor reage a tentativa de legalizar proteção veicular

A Fenacor reagiu rápido à possibilidade de a comissão mista do Congresso Nacional que analisa a Medida Provisória (MP) 881/19 aprovar nesta nesta quinta-feira (11/07) cláusulas que podem, na prática, regulamentar a atividade exercida pelas Associações de Proteção Veicular, que operam à margem da lei, bem como a possível criação de uma entidade autorreguladora.

Em notícia publicada no portal CQCS, o presidente da Fenacor, Armando Vergilio, afirmou que a federação acompanha de perto a tramitação dessa proposta. “Não vamos permitir que algo imoral e ilegal seja colocado de contrabando em uma MP do bem, que assim causará tanto mal”, acentuou.

Essa MP visa, originalmente, reduzir a burocracia para a iniciativa privada. Contudo, até o final da tarde de ontem, o parecer elaborado pelo relator, deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), incluía cláusulas que legalizam a atividade exercida pelas Associações de Proteção Veicular.

De acordo com a reportagem, essa possibilidade deixou boa parte dos profissionais de seguros bastante preocupados, já que existe uma série de ocorrências resultantes de operações das associações, a exemplo de matéria divulgada pelo G1 publicada em 25/05/18 ”Proteção veicular pode gerar prejuízos para quem adere a modalidade”, e matéria divulgada pelo o site O Globo em 20/04/2019. ”Aliadas a cooperativas de seguros, milícias faturam com a recuperação de veículos roubados”.

Procurado pelo CQCS nesta quarta-feira, o relator afirmou que não daria entrevista, porque ainda estava “fechando” o relatório. “Surgiu uma questão, que está deixando o pessoal insatisfeito. Eu não tenho nenhum compromisso com essa questão. Ainda vou ver o que está acontecendo e estou vendo isso que ainda eu não entendi e só vou poder dar entrevista depois que eu entender”, alegou o deputado.

Fonte: Fenacor, com informações do CQCS

Compartilhe: Facebook Twitter Google Plus Linkedin Whatsapp